Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O cantinho das princesas

Falarei um pouco de tudo, desde a minha paixão pela arte das unhas, pestanas e maquilhagem, à minha luta contra o peso meu dia-a-dia, não deixando ainda de partilhar as minhas obras primas com a ajuda da minha amiga bimby :)

O cantinho das princesas

Falarei um pouco de tudo, desde a minha paixão pela arte das unhas, pestanas e maquilhagem, à minha luta contra o peso meu dia-a-dia, não deixando ainda de partilhar as minhas obras primas com a ajuda da minha amiga bimby :)

Um dia na função pública

Estou a estagiar desde Outubro num Hospital Público, e como tal lido todos os dias com o pessoal da função pública (nada contra). O que acontece é que não fosse o facto de eu estar habituada a outros ritmos de trabalho até podia achar isto muito normal, no que toca à falta de vontade de trabalhar.

Vou aqui destacar um dia normal na função pública.

A administrativa "M" entra às 9h, aliás deveria entrar uma vez que no gabinete só aparece por volta das 9h10, a senhora liga o PC, faz não sei o quê e às 9h20 vai para o bar do Hospital "tomar o pequeno-almoço", ok concordo toda a gente tem direito a 10, 15 min de pausa. O problema (que por aqui não parece problema) é que a senhora só vem do pequeno almoço às 10h!! Ora, 10 min de passeio de manhã mais 40 minutos do pequeno-almoço faz 50 minutos de ausência no posto de trabalho.

Entretanto, são 10h06 e a senhora já se levantou para ir passear pelos corredores mais uma vez. Acredito que durante a manhã o faça várias vezes, inclusivé usar o telefone do serviço para ligar para as amigas a contar das novidades da filha "J" e dos gatos... Note-se que sou obrigada a reter todas essas informações, inclusivé acho que neste momento conheço melhor a vida da filha do que ela própria.

A hora de almoço supostamente é das 13h Às 14h, contudo mais uma vez às 12h40 fica um vazio neste gabinete sobrando eu, a estagiária. A hora de almoço prolonga-se até às 14h10/14h15.

Durante a tarde um pouco mais do mesmo, ou porque o primo está internado no Hospital, ou porque o ex-namorado da "J" fez isto ou aquilo, no meio de toda agitação ainda se ouvem umas reclamações de ter de ficar a trabalhar mais uma hora, de que recebe mal, de que não à condições de trabalho (eu relembro mentalmente que TODOS os privados trabalham 8horas diárias, não têm ADSE, e a maioria ganha o salário mínimo, e pior os pobres coitados não têm direito a passear por corredores e a horas de pausa indeterminadas). Um pouco antes das 17h, a d."M" vai tomar o chá, que eu acredito que se prolongue até perto das 18h mas como eu saio às 17h (porque entro às 8h) não posso comprovar. :P

 

Como tal só posso concluir que grande parte da função pública (conheço mais casos, aos poucos vou contando outras perípécias) está é muito mal habituada e reclamam enquanto são os últimos a poder.

Óbvio que não posso generalizar, conheço outros casos que são bem diferentes destas práticas, como é o caso do meu chefe por exemplo que trabalha mais do que 50 trabalhadores como a que descrevi.

 

untitledl.bmp

 

Bem está na hora de eu voltar ao meu trabalho, que neste momento é basicamente esperar pelo chefe... Uns sem querer fazer nada e eu a cortar os pulsos de tédio!

 

 

2 comentários

Comentar post